segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Tapete de tecido

Material necessário

- Sobras de tecido: suplex, lycra ou algodão
- Tecido resistente e lavável, como a sarja
- Linha de costura industrial
- Máquina de costura

Passo-a-passo

Corte as sobras de tecidos em retângulos de mais ou menos 8 por 2 centímetros. Não precisa ficar tudo igual. A base é o tecido resistente e lavável. A linha deve ser a industrial, para prender bem os retângulos. Faça o arremate nas laterais do tecido de base. Pegue um retângulo e costure num dos cantos do tecido de base, reforçando bem a costura. Sobreponha outro e costure. Faça isso até chegar na outra ponta, onde a costura do último retângulo da fileira também deve ser reforçado. Levante todos os retalhos para um lado só, dê um espaço de um dedo e comece uma nova fileira, do mesmo modo que você fez a anterior. Vá repetindo essa operação até cobrir todo o tecido. Depois, é só cortar as linhas que ficarem sobrando e está pronto. Misture cores e, se quiser, invente desenhos. Sua criatividade é quem manda.

Custo: R$ 5,00 o metro quadrado
Venda: R$ 40,00 o metro quadrado

Vela com coador de café


Material Necessário

- Coador de café usado
- Vela pronta
- Tesoura
- Ferro de passar roupa (não pode ser a vapor)

Passo-a-passo
Abra o coador e deixe escorrer bem a água. Com a ajuda de uma colher retire a borra de café. Se você tiver pressa, coloque o coador no forno por cinco minutos aproximadamente. O lado de dentro do coador é o que entrará em contato com a vela. Passe o ferro de passar no coador sobre a vela suavemente em temperatura média. A parafina derreterá e isso é que vai fixar o coador na vela.

Pêssego de Parafina



Material necessário

- Fôrma de gesso ou alumínio em formato de pêssego, vendida em lojas de produtos para artesanato
- 1kg de parafina em tablete ou lentilha
- 100g de fécula de batata
- 20g de pó xadrez amarelo
- 10g de pó xadrez marrom
- 1 pitada de pó xadrez vermelho
- Solvente
- Anilina amarela à base de óleo, própria para parafina
- Pincel número 4
- Faca sem serra
- 1 círculo feito com borracha de câmara de pneu ou elástico reforçado

Passo-a-passo

Coloque a forma de gesso na água durante uma hora para que ela fique encharcada. Enquanto isso, aproveite para derreter a parafina, mas no fogo baixo, tomando cuidado para que a chama não atinja a parafina, que é muito inflamável. Se preferir, derreta em banho-maria. Quando estiver totalmente derretida, retire do fogo e deixe esfriar. Para saber se está na temperatura ideal, mergulhe a faca na parafina. Se a faca ficar branca, então já pode usar. Divida o líquido em duas partes: numa delas, coloque uma pitada de anilina e mexa bem, para diluir e ficar numa cor amarelada. Reserve a outra metade.
Agora, vamos fazer nosso pêssego. Tire a forma da água e seque levemente. Encha apenas a metade da forma. Tampe e gire. Coloque o elástico da câmera de pneu, segurando firme para não derramar. Continue girando até sentir que não tem líquido dentro. Agora, deixe secar por, mais ou menos, meia hora. Abra a forma e está pronto o pêssego. Depois, é preciso retirar as marcas da fôrma. Com a faquinha sem serra, vá raspando com cuidado, até ficar bem lisinho. A seguir, é hora do banho. O pêssego deve ser mergulhado na parafina derretida. Cuidado com os dedos.
Agora é a hora de pintar. Depois do primeiro banho, passe o pó xadrez amarelo. É bom por um papel embaixo, por que isso faz muita sujeira. Para dar a impressão que ele está queimado de sol, passe um pouquinho de vermelho só na polpa. Agora, para dar acabamento, misture o pó marrom com um pouquinho de solvente. Coloque no lugar do cabinho. Dê mais um banho de parafina para fixar bem. Enquanto ele ainda estiver quente, passe a fécula de batata por toda a peça, para que fique com aquele ar aveludado da fruta. O efeito final é muito bonito. A receita rende dez unidades. Com a mesma técnica, você pode fazer outras frutas, como maçãs, figos e até cachos de uvas.

Custo de dez unidades: R$ 4,50 em média
Sugestão de venda: R$ 0,80 no atacado
Sugestão de venda: R$ 2,00 no varejo

Pintura em Voile



Material

- Um pedaço de voile
- Tinta aquarela para seda, nas cores amarelo-limão, amarelo-ouro, verde-oliva, ocre, violeta e vinho
- Tinta relevo
- Placa retangular de isopor vazado ou bastidor de madeira
- Pincéis de tamanhos diferentes, de preferência redondos
- Papel de seda para o risco
- Lápis nº 2
- Secador de cabelos

Passo-a-passo

Escolha o desenho e risque-o no papel de seda. Depois de pronto o molde, pegue o lápis e risque o voile. Pegue o isopor vazado ou o bastidor e prenda o tecido bem esticadinho, que é para trabalhar ele no alto. Depois, pegue a tinta relevo e comece aplicando sobre o desenho. A tinta pode ser aplicada direto da bisnaga, nem precisa de pincel. Com a mão firme, contorne todo o desenho. Depois, espere a tinta secar pelo menos 4 horas, se o tempo estiver quente. Se o dia estiver úmido espere um pouco mais. Com os contornos bem definidos, comece a pintura. Pegue um pincel e molhe um pouquinho o voile dentro dos contornos. Isso ajuda a diluir a tinta para que a pintura fique delicada.

Comece pintando a ponta da folha, com a tinta amarelo-limão. Para um trabalho mais elaborado, você pode fazer um degradê. Coloque um pouco de marrom ou preto na tinta verde e faça um fundo mais escuro. Outra folha pode ser mais clara, com a tinta amarela ou ocre. Para pintar o miolo, comece com o amarelo-limão numa ponta, depois amarelo-ouro do outro lado e um pouco de cor vinho para escurecer a parte do meio das pétalas.

Depois de pronta a pintura, use o secador de cabelos para acelerar a secagem. Agora é a hora de recortar com uma tesourinha pequena e bem afiada, de preferência. O ideal é deixá-la secar por 72 horas e depois lavar. Está pronta uma a sua toalhinha!

Colar de Santinhos


Material necessário

- Corrente de prata ou bijuteria
- 21 medalhinhas
- Alicate de ponta fina
- Alicate de ponta quadrada

Passo-a-passo

Pegue a corrente, calcule o meio e deixe o fecho para o lado esquerdo. Coloque a gargantilha sobre a mesa e pegue a primeira medalhinha com o alicate de ponta fina. Com a ajuda do outro alicate, abra o elo e encaixe bem no centro da corrente. Feche o elo. Cuidado com um detalhe: as medalhinhas devem ficar viradas para a frente. Comece a trabalhar um lado da corrente. Ponha uma medalhinha a cada seis elos da corrente, sempre do centro para os lados. A partir da oitava medalha, coloque-as de 8 em 8 centímetros elos para dar um bonito caimento no pescoço. Depois, monte o outro lado da mesma forma. São dez medalhas de um lado, dez do outro e uma no centro. Uma dica importante: aperte bem as argolinhas.

Custo com a corrente de prata: R$ 15,00
Sugestão de venda: R$ 30,00
Custo com corrente de bijuteria: R$ 10,00
Sugestão de venda: R$ 20,00

Perfume em pasta

Material necessário

- 80g de cera de abelha
- 20g de manteiga de cacau
- 50ml de óleo vegetal (pode ser de amêndoa ou de uva)
- 8ml da essência que você preferir
- 4ml de fixador de perfume
- 1 panela esmaltada
- Potes de plástico ou de metal
- Bastões de vidro
- 1 par de luvas

Passo-a-passo

Na panela esmaltada, despeje a cera de abelha e a manteiga de cacau. Leve ao fogo baixo e vá misturando até derreter. O importante é que a cera derreta sem ferver, sem pegar alta temperatura. Acrescente o óleo vegetal e mexa bem. Deixe essa mistura esfriar até chegar aos 35 graus. A temperatura certa é quando já dá para colocar as mãos na panela sem se queimar. Agora, coloque a essência e o fixador de perfume. Mexa novamente e despeje nas latinhas. Deixe secar por meia hora. E depois que o perfume em pasta está pronto, é só dar asas à imaginação. Quanto mais você caprichar na embalagem, mais vai valorizar o produto.

Custo: R$ 2,50 cada lata de 30g
Sugestão de Venda: R$ 4,00

Sementes


Com um pouco de criatividade e esforço, você pode transformar qualquer material em objeto de desejo de muita gente.
Leia o texto abaixo e se inspire!

Uma artesã do município de Tangará da Serra, no Mato Grosso, aprendeu a utilizar sementes de árvores nativas como matéria-prima e ter uma fonte de renda lucrativa.

Ela não tem nenhum gasto para obter o material já que cata sementes de flamboaiã nas praças da cidade.
Quando não encontra o suficiente no chão, o jeito é subir nas árvores e colher as melhores vagens.
A vantagem de usar sementes para fazer bijuterias é que a fibra é dura e bem resistente, o que proporciona um resultado final com muita qualidade.

A semente de pau-brasil também é uma das preferidas. É vermelha e tem o tamanho de uma pérola.
O olho-de-cabra é outro produto bastante utilizado. Pode ser encontrado nos tons alaranjado, amarelo e vermelho.

Em muitas árvores, somente é possível fazer a colheita no período de seca, que vai até setembro na região do cerrado brasileiro.
É nessa época que as artesãs abastecem seus depósitos para o ano inteiro.

As sementes não passam por nenhum tipo de tratamento.
São lavadas com detergente neutro e colocadas para secar.
A etapa mais difícil é furar cada uma delas.
A técnica de montagem adotada é a mesma utilizada para miçangas e cristais.

Depois de pronta, a bijuteria passa por um polimento com óleo de amêndoas.

Está pronta a sua bijuteria.

Você pode fabricar brincos, colares, pulseiras e cintos.
Uma peça nunca fica igual à outra, pois as sementes nunca são iguais.

Gostou? Quem sabe você não utiliza essas técnicas e passa a lucrar um pouquinho mais daqui para a frente?

Boa sorte!

Contato


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


Perfil

Minha foto
AACC
Condado, Pernambuco, Brazil
Associação Artística e Cultural de Condado
Visualizar meu perfil completo